A expectativa do interior para o Dia das Crianças

Associações Comerciais de cidades como Piracicaba e Campinas esperam um aumento de até 8% para a data. Brinquedos e vestuário são os itens mais procurados

A expectativa para as vendas do Dia das Crianças tem animado os comerciantes de todo o Estado. Muitas das Associações Comerciais espalhadas pelo interior estão otimistas e esperam desde um crescimento tímido até alta de 8% nas vendas deste ano.

Sorocaba– A pesquisa da Associação Comercial de Sorocaba (ACS) aponta que as vendas no Dia das Crianças podem crescer até 2%, em relação ao ano anterior, e é mais uma importante oportunidade para o comércio aproveitar a data e atrair os consumidores.

Uma pesquisa realizada pela Associação Comercial de Sorocaba, em parceria com a Esamc Jr., apontou que 90% dos entrevistados pretendem comprar presentes para os filhos, netos, sobrinhos, afilhados, ou seja, para as crianças que mantém laços de parentesco ou afetivos.

Os presentes preferidos são os brinquedos (60%), seguido de roupas (17%) e eletrônicos (13%). O tíquete médio será de R$ 130.

Campinas– A perspectiva para as vendas do Dia das Crianças de 2019 na Região Metropolitana de Campinas (RMC) é de uma expansão de 4,70% sobre a comercialização de 2018, que se por sua vez expandiu 3,10% sobre o ano anterior, 2017, de acordo com a Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC).

A entrada de recursos do PIS/PASEP e do FGTS para este último trimestre do ano, juntamente com o 13º salário, deve melhorar o poder de compra dos consumidores, que deverão comprar acima do ano passado, fazendo o índice de expansão chegar próximo dos 5%.

A mão de obra temporária também deve se expandir nas contratações, 3,35%, em Campinas, ficando acima de 2018, que por sua vez subiu 1,75% em comparação ao ano anterior.

O valor médio do presente, de R$ 147,00, cresce em 5%, praticamente, acima dos 4,10% do ano passado. “O impacto da valorização do dólar nos custos dos presentes importados elevou o preço médio dos presentes bem acima que a inflação, assim como as passagens aéreas e combustíveis em geral, com a moeda americana cotada a mais de R$ 4,50 por US$ 1,00”, afirma o economista da ACIC, Laerte Martins.

Os brinquedos mais procurados para venda, são: para os meninos, bicicletas, eletroeletrônicos, celulares e skates e para as meninas, boneca Barbie, jogos educativos, celulares e vestuário.

Piracicaba– As lojas de produtos infantis, brinquedos e eletrônicos, como celulares, deverão registrar crescimento nas vendas para o Dia das Crianças neste ano, relação a 2018.

A abertura do Comércio de Piracicaba na data, 12 de outubro (feriado nacional em celebração a Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil), também contribuirá para o bom resultado.

A expectativa da Associação Comercial e Industrial de Piracicaba (Acipi), de acordo com o presidente da Acipi, Luiz Carlos Frutuoso, é de que o setor de artigos infantis poderá registrar um incremento de 7% a 8% em relação ao Dia das Crianças do ano passado.

Garça– O comércio garcense já se prepara para atender o consumidor da cidade e região e a expectativa é de aumento nas vendas na comparação com o mês passado. Nas lojas de brinquedos, já se percebe uma movimentação diferente com bonecas e carrinhos ganhado lugar de destaque e no comércio de sapatos e confecções, a sessão infantil ‘sofre’ uma injeção de ânimo e produtos.

Para o presidente da Associação Comercial e Industrial de Garça (Acig), João Francisco Galhardo, é mais uma oportunidade para se fazer a diferença e fidelizar clientes, por isso a expectativa de aumento nas vendas.

“A data em si não tem muita representatividade no mercado se formos comparar com o Natal, Dia das Mães, mas é um momento importante e tem um segmento definido. No entanto o padrão vem mudando no decorrer dos anos. A data tem potencial e pode envolver vários segmentos. Quem tem criança em casa sabe bem do que estou falando”, disse Galhardo.

Segundo ele, o segmento de brinquedos fica em primeiro lugar, conquistando as crianças, enquanto que o setor de calçados e roupas acaba por conquistar os pais. Mas, as crianças direcionam o foco para o mercado digital, para a área da beleza e ai os eletroeletrônicos ganham destaque, e são seguidos de perto com os assessórios infantis.

Nesse vasto universo também tem espaço para o setor de livraria, pois as crianças se rendem (depois de escolher a dedo o que querem) as novidades trazidas nos cadernos, canetinhas, lapiseiras, lápis de cor, mochilas.

“Como eu disse o campo abriu um leque grande e as crianças estão mais exigentes e com múltiplas escolhas. É o momento do lojista oferecer de forma lúdica os seus produtos. Aliar as vendas um pouco de magia e fazer a diferença. São poucos os pais que não se rendem”, disse ele.

Marília – O vice-presidente da diretoria da Associação Comercial e Industrial de Marília, Manoel Batista de Oliveira, está animado com as perspectiva de vendas do varejo em geral, quanto a celebração do Dia das Crianças, próximo bom momento para o comércio, neste segundo semestre do ano, dia 12 de Outubro, que este ano será num sábado, em que a expectativa por um crescimento nas vendas deve atingir até 4% nas vendas, segundo pesquisa por órgãos que monitoram o varejo em geral.

“Isso é muito bom em se tratando do segundo semestre do ano que é sempre bem melhor que o primeiro”, falou o dirigente mariliense ao notar na pesquisa que cerca de 37,5% dos lojistas acreditam em um aumento significativo, quando comparado a outras épocas do ano, como Dia dos Namorados com 2% e Dia das Mães com 3%, segundo outras pesquisas realizadas.

De acordo com Manuel Batista de Oliveira o Dia das Crianças ocupa o segundo lugar no ranking entre as datas mais importantes do segundo semestre para o varejo e o investimento médio por consumidor pode variar entre R$ 50 a R$ 100.

“No ano passado, o Dia das Crianças teve um crescimento de 3% e a venda média seguiu o mesmo valor esperado para este ano”, comentou ao analisar os dados comparativos, e verificar que produtos como bonecas, carrinhos e jogos de tabuleiro devem ser os brinquedos que mais terão destaque nas vendas, por serem tradicionais e terem um valor que cabe no bolso do consumidor.

“Há chances dos pais optarem por esperar a Black Friday ou Natal para presentear os filhos com algo mais significativo, devido às promoções e descontos nas próximas promoções que costumam ser maiores”, arriscou um palpite o dirigente da Associação Comercial de Marília.

Fonte: https://dcomercio.com.br

 

1
Olá !
Podemos Ajudar?
Powered by